sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A velha que era cega mas não era surda.

Ela era velha, mas não era surda. Apenas enxergava mal. Quando alguém vinha lhe falar, pobre coitada, levava tanto tempo tentando focalizar a imagem, reconhecendo a fisionomia no borrão que enxergava, que acabava por não prestar atenção no que a pessoa lhe dizia. Percebendo sua displicência, dirigia-se ao orador com um interessado “Quêêêêê?”. Então julgavam-na surda, e repetiam a mensagem aos berros. Mas veja bem, ela não era surda! Apenas enxergava mal.

Um comentário:

gargoyle.fun disse...

Um dia... talvez por isso de gritarem, as(os) que aturam(ou não tanto[ou com contribuições de si próprio(a) como troca de carinhos]) isso, fique surda(o) também, pra gentilmente completar o pacote.