segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Meu pau e minha mão

"Meu pau e minha mão são o que eu mais amo na vida. Estão comigo desde que eu nasci. Meu pau sempre foi mais brincalhão. Apesar de termos cabeças diferentes, sempre conseguimos nos divertir juntos. Meu pão e minha mão eram um exemplo de amor. Sempre estava juntos. Quando era mais jovem, divertíamos sempre eu, ele e minha mão.

Hoje em dia isso é mais raro, meu pau perdeu o interesse em minha mão, mas de vez em quanto eles relembram os velhos tempos. hoje nós nos divertimos com minha namorada. Sabe, eu
sempre gostei de programa em família. Minha mão se entrosa relativamente bem com minha namorada, mas o mais entrosado de todos é o meu pau. Ele é sempre o mais animado, e o mais ansioso pelos encontros. As vezes ele é inconveniente, ousado, mas é sua personalidade, que se pode fazer?

Minha mão esteve sempre ao meu lado, mas meu pau me decepcionou algumas vezes. Foram raras, mas todas as vezes eu lamentei bastante. Minha mão o chamava, dizia que eu precisava dele, muitas vezes também minha namorada. As vezes resolvia, as vezes não. Ele é cabeça dura.

Minha mão me diz que ele não é confiável. Que assim como ele a abandonou, também me abandonará um dia, permanecerá ao meu lado apenas facultativamente. Mas isso, se acontecer, será no futuro. Não quero pensar nisso.

Família é sempre família, e meu pau e minha mão significam muito para mim."


Jovem, por mais que o “u” fique perto do “i”, não cometa esse erro! Você pode ser mau interpretado.


PS : o “i” perto do “u” é aceitável, mas porque diabos as pessoas sempre trocam o “e” pelo “o” e vice versa escrevendo mão/mãe? Isso não faz sentido. Talvez seja um distúrbio da sociedade moderna.

2 comentários:

Aruã disse...

AEUHAUHUAHEAHUAHUEHAU, genial!

nana disse...

eu amo esse! rsioarshisragp