sexta-feira, 9 de outubro de 2009

O dragão comedor de virgens

Era uma vez uma aldeia, era uma vez perto da aldeia uma montanha, era uma vez na montanha um dragão, era uma vez cocô do dragão em volta da montanha, alguns contendo ossos mastigados de virgens da aldeia.

Acontece que o dragão era meio furioso, e para aplacar sua meio-fúria seu estômago pedia de vez em quando carne humana. Mas não podia ser qualquer carne humana, tinha que ser carne de uma donzela pura virgem não violada. Só servia se fosse assim.

Então uma comissão formada pelos líderes da aldeia decidia qual virgem seria sacrificada pelo bem maior. Um dia então escolheram a virgem Aliena. Deram-lhe a notícia: "Aliena, você é virgem e um dragão vai te devorar amanhã."

Então Aliena foi dormir meio que preocupada porque ia ser devorada no dia seguinte. E então ela sonhou com Mestre Yoda. Ele lhe disse: "devorada será porque virgem é. Se virgem não for, morrer não irá", e então Aliena acordou nesse momento. Teve uma idéia. Foi até a taberna ofereceu aos bêbados a proposta do gang bang. Os que não estavam vomitando ou caídos aceitaram.

Terminada a safadagem, Aliena voltou à sua casa e dormiu. E então chegou o grande dia. A vestiram de branco, coroaram-na com flores do mato e a mandaram para o dragão.

Quando o dragão a encontrou, percebeu que o produto havia sido (muito) adulterado.

A partir daqui há três possíveis finais:

Final A:

O dragão revoltado dá uma rabada em Aliena que se espatifa montanha abaixo, assola a cidade e passa a caçar apenas gamos, pois tinha preguiça de encontrar outra aldeia perto de outra montanha.

Final B:

O dragão come Aliena mesmo assim, para variar o cardápido, sente nela o gosto dos homens, e passa a pedir bêbados das próximas vezes.

Acho esse o final mais interessante, pois morrem felizes, ou dormindo, ou passando tão mal que agradecem a morte. O taberneiro que deve ficar infeliz por perder clientes.

Final C:

O dragão come Aliena assim mesmo, para variar o cardápio, mas aos poucos, primeiro as pernas, depois uma mordidinha no tronco... E aí que ele prova o útero, cheio de resíduos da noite anterior, acha interessante o tempero e passa a pedir mulheres violadas, homens violados, e as vezes um ou dois odes de sêmem para temperar gamos da floresta.

3 comentários:

Aruã Darthvader disse...

resumindo: um conto erótico medieval gay.
pricipalmente os dois últimos finais.
=D

Ártemis disse...

adorei o final 3! uhuuuuuuul \o

ironsand disse...

O final 2 fatorial é o melhor.
Além do que o terceiro estimula o onanismo.